9 de abr de 2010

Vazios, Mas Cheios!

“Não se embriague com o vinho que é uma fonte de
devassidão, mas enchei-vos do espírito”.

Efésios 5:18

Quando Paulo escreve da prisão aos irmãos de Éfeso, ele não estava tratando com algum problema específico. Paulo escreve para a igreja como um todo falando do plano de Deus e sobre a vida cristã. A carta se divide em duas partes.
Na primeira, Paulo informa o motivo da sua prisão e fala do plano secreto, que Deus tinha decidido realizar por meio de Cristo, neste plano é que eu e você estamos incluídos, ou seja, é a inclusão dos judeus com não-judeus no corpo de Cristo, participando com eles das bênçãos
do Senhor (EF 3.3-7).
Na segunda parte, Paulo trata da nova vida que temos que seguir em Cristo. Nesta linha de pensamento quero ter por base o capítulo 5 e o versículo 18 de Efésios, tendo em vista que muitos pregadores só levam em conta a segunda parte do verso “enchei-vos do Espírito”.
Paulo conhecia muito bem Éfeso, foi ele que fundou a igreja de Cristo quando ficou ali por cerca de três anos (At 19.1-7). Nesta ocasião, Cristo por sua infinita misericórdia enviou o Espírito Santo onde houve uma grande efusão, ocasionando milagres extraordinários (At 19:11). Esta é a única vez que os milagres são descritos desta forma.
Com isso, concluímos que Paulo conhecia a cidade e os irmãos em Cristo. Tenho a certeza que o teor maior desta carta é sobre o Espírito Santo e suas ações. Mas quero falar sobre como proceder, para deixar ser possuído pela terceira pessoa da Trindade.
Não se embriague com o vinho que é uma fonte de devassidão. O apóstolo precisava falar de uma maneira que os irmãos de Éfeso entendessem. Paulo sabia que precisava escrever de modo ilustrativo de maneira que pudessem captar tudo aquilo que Deus tinha colocado no seu coração.
Éfeso era a maior cidade da costa oeste da Ásia menor. A cidade tinha um belo teatro que suportava até 24.000 pessoas sentadas para assistirem jogos, músicas e cerimônias religiosas. Entre os deuses adorados pelo povo de Éfeso estavam “Ártemis” ou “Diana” (deusa Protetora da cidade e dos bosques e animais) e “Baco” ou “Dionísio” (deus do vinho e do sexo).
Paulo sabiamente escreve aos irmãos de Éfeso dizendo que eles precisam ser cheios do Espírito Santo. Mas para serem cheios, não podiam se embriagar, eles precisam largar o pecado. Não vos embriagues com o vinho que a contenda mais enchei-vos do Espírito, isso significa que, ninguém pode ser cheio de vinho e do Espírito ao mesmo tempo, ou seja primeiro temos que resolver o problema da embriaguez, só depois disso que podemos ser cheios do Espírito. Paulo esta falando que precisamos resolver a questão do pecado. O apostolo sabia que a embriagues era algo bastante comum entre o povo, especialmente por ocasião das festas realizadas em adoração aos deuses, entre os quais se destaca o deus Baco, (deus do vinho e sexo). Era comum durante a bacanália, (a festa ao deus Baco), os participantes se embriagarem e se entregarem as mais baixas paixões carnais, luxuria lascívia a todo tipo de pecado. Tudo que toma espaço do Espírito Santo se torna pecado. A palavra “vinho” pode ser substituída por outra coisa que nos separa de Deus como, por exemplo, o sexo, a frase ficaria “não vos embriagueis com o sexo mais enchei-vos do Espírito”. Esta e uma frase muito boa para nossos dias. A todo o momento somos surpreendidos pela pornografia explicita na mídia, nas bancas de jornal e até mesmo na rua, sendo provados pela maneira como as mulheres se vestem. Esta geração mais que qualquer outra, sofre com os ataques de satanás. Ninguém pode ser controlado ao mesmo tempo pelo desejo “sexual impuro” e pelo “Espírito Santo”. Antes de pensarmos em ser cheios, precisamos nos arrependermos dos nossos pecados e deixá-los.
Troquemos ainda a palavra “vinho” por dinheiro, a frase ficaria “não vos embriagueis com o dinheiro que a contenda mais enchei-vos do Espírito”, Jesus disse onde está as suas riquezas ali está o seu coração. Há cristãos que amam mais o dinheiro e passam a vida toda atrás dele, como se isso fosse à coisa mais importante do mundo. O alvo dele deixou de ser Cristo, porque o coração dele está no dinheiro, não podemos servir a dois senhores, ou somos embriagados pelo dinheiro ou somos controlados pelo Espírito. Não estou dizendo que não devemos trabalhar e suprir nossas necessidades e de nossos filhos. Quero dizer que isso não pode tomar o lugar de adoração a Deus, não pode ser a coisa mais importante do mundo, fazendo com que eu o busque de uma maneira desenfreada. A embriagues consiste no domínio ou controle de alguém pelos efeitos do álcool. Quando alguém está embriagado, o álcool já subiu à sua mente através da corrente sanguínea e já dominou de tal maneira seu cérebro que, suas palavras, suas ações, as suas emoções, entrassem em conflito, ficando fora de si. Quem nunca vil uma pessoa de ressaca dizer que não se lembra de nada do que fez? Os seus sentimentos e suas decisões estão dominados pelo álcool. É preciso deixar o pecado, se libertar de tudo aquilo que nos separa do Nosso Amado Senhor, deixar fluir do nosso intimo, o amor que floresceu quando confessamos os nossos pecados e aceitamos Ele como Nosso Senhor e Salvador, só assim seremos cheios do Espírito Santo. Lembro-me de um testemunho sobre uma senhora da tribo zulu que aceitou a Cristo, e regularmente estava nos cultos, todos estavam muito felizes por aquela senhora, mais tinha um problema: há anos aquela senhora não tomava banho. Aquilo começou a criar um problema, pois quando ela entrava no local das reuniões, seu mau cheiro perturbava a todos. Todo mundo sabia que ela havia chegado. As senhoras zulus crentes resolveram tomar uma providencia: reuniram-se, fizeram uma festa para ela, e lhe deram um vestido novo de presente, dizendo que gostariam muito de vê-la com o vestido novo na reunião seguinte. A senhora zulu ficou muito feliz e prometeu que usaria o vestido no próximo culto. No culto seguinte ela chegou vestida como tinha prometido, mas quando entrou e sentou-se, o velho e conhecido cheiro tinha tomado todo ambiente. Ela simplesmente vestiu-se por cima da sujeira.
O Espírito Santo não se deixa enganar, não podemos acreditar que seremos cheios do Espírito estando cobertos da lama do pecado. É necessário antes de tudo, resolver a questões do trapo imundo, da embriagues, dos nossos relacionamentos sujos, do nosso linguajar impuro, dos nossos pensamentos promíscuos e lascivos, somente depois disso podemos falar em ser cheios do Espírito Santo.

“Não se embriagueis com o pecado porque gera a morte,
mais enchei-vos do Espírito Santo”.

Nenhum comentário: